15 de December de 2019

FÓRUM ZADIG LEI E VIOLÊNCIA

Fórum Lei e violência | 3 de agosto de 2019 Faculdade Nacional de Direito- UFRJ A opinião comum tende a…


Fórum Lei e violência | 3 de agosto de 2019

Faculdade Nacional de Direito- UFRJ

A opinião comum tende a tomar lei e violência em oposição, desconhecendo que há algo de violento no próprio exercício e manutenção da lei. Para a abordagem desses temas, Freud traz a necessidade de levarmos em conta outro par, lei e desejo, igualmente em oposição relativa e sempre articulados na prática psicanalítica.

Poderiam os psicanalistas, a partir de sua experiência, contribuir com o debate sobre esse tema nas condições de extrema desigualdade e polarização de nossos dias? Pedimos a nossos convidados, com largo percurso nessa incontornável questão, que abordem alguns pontos relevantes para nossa elaboração. A aposta é que possamos, com eles, desenvolver uma interrogação conjunta sobre o modo de participação da psicanálise de orientação lacaniana nesse momento decisivo para a democracia no Brasil. Serão três mesas em que dois convidados nos dirão o que pensam a partir de nossas perguntas.

A comissão Zadig escolheu como título para a primeira mesa Torções da lei. Essa mesa partirá da premissa de que não há lei sem interpretação da lei e vai interrogar: de que modo, então, os diversos ordenamentos jurídicos podem levar a leituras e intervenções opostas, ou mesmo tendenciosas? A partir do modo como a psicanálise lida com a interpretação, teria o analista algo a dizer a respeito?

A segunda mesa, Segregação, violência extermínio, propõe a hipótese de que, quando a segregação se desenrola no plano de uma invisibilidade radical, para o qual o termo “exclusão” parece tímido, é difícil não pensar em uma lógica de extermínio. Queremos avançar no debate sobre a desigualdade que delimita uma população de matáveis, e justifica assassinatos “dentro da lei”. Terá o analista algo a contribuir na discussão a partir do modo como Lacan delimita o objeto paradoxal de uma análise como rebotalho e resto irredutível?

Finalmente, a terceira mesa, Tiranias contemporâneas, vai se desenrolar em torno das seguintes questões: como abordar a ressurgência de um extremismo reacionário no mundo e no Brasil? Qual seria, neste fenômeno, o papel das redes sociais, e da crise da representatividade política? Que alcance teriam, neste contexto, as formulações freudianas sobre o pai, o líder [e o tirano]?

Aguardamos os convocados a este debate pelo convite de Zadig Doces&Bárbaros, com apoio da Escola Brasileira de Psicanálise, a responder à urgência que a forma particular de violência dos nossos tempos impõe.

(Marcus André Vieira)

Movida Zadig Doces&Bárbaros | coordenação: Jésus Santiago.
Fórum Zadig “Lei e violência” | coordenação: Angela Bernardes e Marcus André Vieira

Related Posts

II FORUM LATINO EN RED

16 de Abril de 2019

16 de Abril de 2019

ZADIG – La movida latina Con las resonancias de nuestro primer Forum en Red ZADIG-LML y en el esfuerzo lógico político...

O USO ARBITRÁRIO DA LEI OU O ATAQUE DA DEMOCRACIA CONTRA ELA MESMA – Angelina Harari

17 de dezembro de 2018

17 de dezembro de 2018

Para introduzir minha intervenção nesse Forum Europeu Zadig na Bélgica “Os discursos que matam”, gostaria de salientar que me parece...

EL USO ARBITRARIO DE LA LEY O EL ATAQUE DE LA DEMOCRACIA CONTRA SÍ MISMA – Angelina Harari

17 de dezembro de 2018

17 de dezembro de 2018

Para introducir mi tema en este Fórum europeo Zadig en Bélgica “Los discursos que matan”, quisiera subrayar que me parece...

Comments
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.